Posts Tagged ‘E-commerce’

Orçar ou vender, o que devo fazer na internet?

Esta não é bem a dúvida que encontro nas minhas visitas a clientes e prospects, pelo contrário, a maioria das vezes quando sou chamado para orçar um site, o potencial cliente já tem claro que o máximo que ele vai disponibilizar no site é uma formulário onde o internauta poderá solicitar um orçamento dos produtos ou serviços dele. Quando indago porquê não vender pela internet as respostas variam: “nossa empresa não tem cultura para isto”, “ninguém vai querer comprar pela internet o nosso produto”,  “o nosso produto precisa ser negociado”, “como o cliente vai pedir desconto?”. Bom, assim poderia listas mais umas 10 desculpas para não vender pela internet.

 

É impressionante que mesmo com as notícias que saem na mídia dando conta do volume crescente de vendas pela internet, da quantidade de novos compradores e principalmente do volume de faturamento envolvido nas transações online, que alguém ainda duvide do potencial de venda da internet. Quando olhamos estes números fica mais difícil entender, vejamos:

 

  • 24,5 milhões de brasileiros não ficam sequer um dia sem internet;
  • 50% dos internautas são heavy users;
  • 29% já compraram
  • R$ 6,7 bilhões de faturamento em 2010

 

Será que vendo estes números você mudaria de idéia? Você não gostaria de pegar uma parte deste bolo? Não pense você que o custo de se montar uma loja online é alto, pelo contrário o custo de se montar uma loja eletrônica que tem capacidade para 1.000 produtos e que pode atingir o Brasil inteiro é 10% do custo de se montar um ponto de venda tradicional que consegue no máximo a abrangência geográfica limitada aos bairros próximos. O que você prefere?

 

A diferença nos custos entre uma loja tradicional e uma eletrônica é maior quando olhamos a manutenção. Uma loja eletrônica tem o custo equivalente a 5% de uma loja tradicional, com a vantagem que nunca fecha. Não tem feriado ou fim-de-semana, sua loja tem todas as 24 horas e os 7 dias da semana úteis. Só por isto sua operação na internet será a mais rentável na sua empresa. Agora me diga, qual a sua desculpa para não vender pela internet?

 

Fale com a Interdevice, nós podemos responder as suas dívidas e orienta-lo para que sua empresa tenha sucesso na internet.

E-commerce e redes socias, o que fazer?

Muito tem se falado em redes sociais e que elas podem ajudar a alavancar as vendas para e-commerces, realmente elas podem ser uma grande arma para quem trabalhar direito, mas pode ser também um tiro no pé.

 

As redes sociais têm por grande mérito ser um território livre para expressão de opinião, onde os internautas podem compartilhar experiências boas ou não tão boas assim e neste contexto que um internauta que tenha tido uma boa experiência de compra em sua loja poderá levá-la para rede e se tornar divulgador da sua empresa, quanto custa isto? Nada, atenda bem ele e só.

 

 

Não adianta você disponibilizar ferramentas integradas com redes sociais que permitam que os internautas “curtam” seu produto, tuitem sua empresa ou seu produto se você esquecer-se de dar boas razões para ele fazer isto, e o que leva o internauta a divulgar, falar bem ou tuitar seu produto? Surpreanda-o! Apresente bem seu produto, dê informações que valorizem o produto use recursos de navegação simples, mas que facilitem a experiência de compra, faça-o descobrir em sua loja informações sobre o produto que ele não conhecia, sai do óbvio!

 

 

A Interdevice pode ajudá-lo a sair do óbvio, conte conosco, temos inteligência e tecnologia e marketing para alavancar sua empresa na internet, fale conosco.

Quer ganhar dinheiro? Tenha um varejo online.

Este é o segmento de e-commerce que mais cresce no Brasil e no mundo, é o segmento que tem atraido cada vez mais consumidores com preços  e produtos similares ao que se encontra em lojas convencionais mas com a comodidade de não precisar se deslocar até a loja.

 

Quer entrar neste mercado? O primeiro passo, se você não é lojista,  montar um planejamento estratégico onde você vai definir tudo que sua loja vai ser e ter a oferecer ao mercado, a mesma coisa que você faria se fosse montar um loja convencional. A grande vantagem está no custo do negócio, cerca de 30% em relação ao convencional, mas uma abrangência muito maior que qualquer loja poderia ter. Só esta última vantagem seria o suficiente para optar por um comércio eletrônico, mas além disto tem a questão da segurança, da manutenção e da escalabilidade, capacidade de crescimento rápido com baixo investimento.

 

Então vamos conversar, nós da Interdevice podemos ajudá-lo desde o planejamento até a montagem do seu comércio eletrônico, entre em nosso site e clique em fale conosco e agende uma apresentação sem compromisso.

Comércio eletrônico para serviços, você ainda não acredita?

Se sua resposta foi sim a esta pergunta sim, cuidado! O e-commerce está cada vez mais popular entre os brasileiros, a cada dia que passa mais e mais pessoas perdem o medo e descobrem as vantagens de se comprar pela internet, não só a questão do preço mais baixo, mas também da comodidade que isto traz. Este movimento tem por outro entusiasmado mais e mais empresas a usarem este canal como forma de negociação e quando falamos em negociação estamos falando das diversas formas de se fazer negócios pela web.

 

Por exemplo: você pode ser prestador de serviço que precisa fazer um orçamento antes de se contratado e este orçamento exige uma visita ao local onde o serviço será prestado, você pode usar a web como um facilitador do seu negócio, onde você permite que seu cliente solicite uma visita indicando o local que será visitado e qual tipo de serviço ele está interessado e caso o cliente esteja fora da área de atuação da empresa será informado de imediato pelo próprio site, além de que o endereço será validado logo após ser digitado caso o sistema não localize o local no mapa. O prestador de serviço pelo seu lado receberá não só o endereço como também o mapa da localização exata do local em questão, o serviço desejado e dado para contato com o cliente. Com este recurso você conseguirá reduzir o tempo de telefone, facilitamos a comunicação entre cliente e prestador de serviço. Isto é lógico acompanhado de um fale conosco, suporte ao cliente e informações técnicas no site que ajudem o cliente a conhecer melhor seu serviço. Isto também é uma forma de comércio eletrônico.

Novo cliente Interdevice, marca francesa no Brasil.

Esta semana a interdevice está fechando mais um negócio, vai construir um site e loja para a representação de uma marca francesa no Brasil. A espectativa dos representantes é de atingir um segmento de mercado pouco explorado e carente de produtos de qualidade. A Interdevice também será responsável pela divulgação da marca na internet.

Qual é marca? Aguardem novos posts.

O layout é fundamental na compra pela internet?

Quando você está pesquisando um produto na internet, o que você considera? Preço, localização da sede da loja, nome da loja ou grau de aprovação? E depois de entrar nas lojas, o faz você decidir pela compra em uma determinada loja? A quantidade de informações sobre o produto, a forma de pagamento, promoções, descontos ou o layout da loja? Você deixaria comprar em uma loja que possui um produto mais barato que as outras só pelo fato do layout da loja não lhe agradar?

Esta foi a tônica da reunião que tive hoje em um cliente. A solicitação que recebi foi para criar uma nova identidade visual pois a atual não está “funcionando”. Como parte do meu trabalho levantei uma série de questões que considero pertinentes ao fato. O preço da loja é competitivo? O produto possui descrição suficiente para sanar as dúvidas básicas do potencial comprador? Há opções de  pagamento?  Nenhuma das minhas perguntas foram respondidas.

Quanto a razão pela qual o meu cliente acredita que o layout pode ser o responsável pelas baixas vendas, nem ele mesmo sabe. Eu concordo que o layout atual da loja não é dos mais agradáveis mas não dá para dizer se ele o responsável pelas baixas vendas ou não. O que sei dizer é que os 3.700 visitantes mês só descobrem se gostam ou não do visual depois que acessaram a loja. Eu penso também que é mais fácil atribuir a culpa em algo que vemos e que não está diretamente sobre nossa responsabilidade, do que fazer um estudo detalhado das reais causas da situação.

Na internet tamanho precisa de documento

Esta semana vivenciei em uma compra, um discurso que sempre repito para meus clientes que possuem loja virtual, dê o máximo de informação do produto, principalmente o tamanho. Eu sempre falo isto em qualquer reunião que se discuta produto e me pendem opinião sobre que deve constar na loja. Medida, L x A x P, largura, altura e profundidade.

Compramos um mini processador pela internet e como esta informação, medidas, não estavam disponíveis na loja deduzimos nós qual o tamanho do produto que estava sendo adiquirido. Como já tinhamos visto vários processadores imaginamos que o mini seria menor que estes, mas quando chegou o produto foi um susto. Ele é mini mesmo, bem mini.

Não acho que fui lesado, não considero que fui enganado, pensando bem fui enganado sim mas pela minha imaginação. Isto deixou um gostinho de frustação. Eu não vou devolver o produto e tão pouco vou reclamar com a loja, mesmo porque não teria como, como base no que?

Acredito que a minha experiência de compra poderia ter sido completa se a loja informasse o tamanho do produto, isto evitaria esta sensação de que fui enganado. Será que todos agiriam como eu? Será que alguns não iriam reclamar com a loja, procurar o Procon? Quem sabe? Mas como lojista eu não arriscaria e procuraria ter o máximo de informações sobre o produtos disponíveis para o comprador, para que ele tenha certeza do que está comprando.