Natal virtual movimenta R$ 1,6 bilhões

Evolução de vendas de natal

O Natal agitou as vendas de final de ano no comércio eletrônico brasileiro. De acordo com a e-bit, empresa especializada no setor, foram movimentados R$ 1,6 bilhões no período de 15/11 a 24/12 em vendas de bens de consumo. Esse valor representa um aumento de 28% em relação ao mesmo período de 2008, quando o faturamento para a data sazonal foi de R$ 1,25 bilhões.

Para o diretor geral da e-bit, Pedro Guasti, o Natal trouxe bons frutos para o canal em 2009. “Ano a ano acompanhamos a evolução do e-commerce e sem dúvida o Natal é um grande aliado para esse crescimento. Com esse faturamento expressivo, nota-se que o consumidor está mais preparado e programado para comprar via web, além de estar com a confiança retomada para fazer compras. Para os próximos anos, o crescimento deverá ser ainda maior”, alega o executivo.

As lojas virtuais tiveram que se programar para atender todas as demandas. De acordo com Guasti, sem uma estrutura e logística, ficaria difícil receber tantos pedidos no período natalino. “O volume de pedidos nessa época é intenso, já que as pessoas têm o hábito de dar muitos presentes, tanto para amigos, quanto para familiares. Por isso, um planejamento antecipado por parte das lojas é mais do que necessário para obter sucesso em datas como essas”, afirma Guasti. Outro fator interessante é a preferência do consumidor em presentear com produtos de alto valor agregado, como Eletrônicos, artigos de Informática e Eletrodomésticos. Até poucos anos, os líderes eram produtos mais baratos, como CD`s e DVD´s.

Prova disso pode ser tirada se analisarmos as categorias mais vendidas. A “campeã de audiência” foi Livros, seguida por Eletrodomésticos, ainda bastante impulsionada pela redução do IPI, e Saúde, beleza e medicamentos. Informática e Eletrônicos ficaram na quarta e na quinta colocação, respectivamente, completando o ranking.

O pico das vendas natalinas ocorreu no dia 16/12, onde foram realizados mais de 150 mil pedidos, um crescimento 50% superior a um dia de vendas normal.

É válido lembrar o maior crescimento do comércio eletrônico em comparação aos os outros canais. Enquanto o e-commerce teve uma evolução de 28% em suas vendas natalinas, o varejo físico obteve apenas 6,8% de acréscimo, segundo o indicador Serasa Experian. No Natal norte-americano, as vendas online subiram 15,5% de acordo com o pelo SpendingPulse, uma unidade do MasterCard Advisors

Fonte: E-bit Empresa.